Central de Tradutores e Interpretes: a inclusão no ensino superior mediada pela Língua de Sinais

Andrea da Silva Rosa, Claudio Moreira Alves, Clóvis de Souza, Diego Henrique de Assis da Conceição, Liliam Ferreira

Resumo


A Central de Tradutores e Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais – TILS atende alunos surdos, inicialmente, matriculados nos programas de pós-graduação das unidades de ensino e pesquisa da UNICAMP.  A criação da central de TILS está em consonância com a política de inclusão estabelecida pelos documentos oficiais, que tem como proposta reconhecer a diferença linguística das pessoas surdas e pela mediação do tradutor intérprete de LIBRAS propiciarem ambientes linguísticos favoráveis para que os alunos esses possam se apropriar dos conhecimentos científicos na língua de sinais, que constitui a sua língua natural.  Nessa direção, objetivamos assegurar que a universidade seja um lugar de educação para todos, permitindo não somente a entrada das pessoas surdas, mas principalmente oferecer condições para sua permanência. O objetivo principal da Central TILS é traduzir as aulas para os alunos regulares dos cursos de graduação e pós-graduação na Universidade. 


Palavras-chave


Intérprete de língua de sinais. Inclusão. Ensino superior

Texto completo:

PDF

Referências


AGRELLA, Regiane Pinheiro. Entre o saber e o conhecer a língua: questões sobre a identidade e subjetividade do aluno ouvinte estudante de libras. In: PERLIN, Gladis; STUMPF, Marianne. (Org.). Um olhar sobre nós surdos. Curitiba: CRV, 2012.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 abr. 2002.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 2005.

BRASIL, Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 jul. 2015.

CONGRESSO DE LEITURA DO BRASIL. 12., 1999, Campinas. Anais do… Campinas: ALB, 1999.

PEREIRA, Maria Cristina da Cunha. (Org.). Libras: conhecimento além dos sinais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2013.

PERLIN, Gladis. Surdos: cultura e transformação contemporânea. In: PERLIN, Gladis; STUMPF, Marianne. (Org.). Um olhar sobre nós surdos. Curitiba: CRV, 2012.

QUADROS, Ronice Müller; CERNY, Roseli Zen; PEREIRA, Alice Theresinha Cybis. Inclusão de surdos no ensino superior por meio do uso da tecnologia. In: QUADROS, Ronice Müller. (Org.). Estudos surdos III. Petrópolis: Arara Azul, 2008.

RODRIGUES, Carlos Henrique. A busca por semelhança interpretativa no processo de interpretação simultânea para a língua de sinais. In: QUADROS, Ronice Müller; WEININGER, Markus J. (Org.). Estudos da língua brasileira de sinais III. Florianópolis: Insular/PGET/UFSC, 2014.

ROSA, Andréa da Silva Rosa. Entre a visibilidade da tradução da língua de sinais e a invisibilidade da tarefa do intérprete. Niterói: Arara-Azul, 2008.

SANTOS, Silvana Aguiar. A implementação do serviço de tradução e interpretação de libras–português nas universidades federais. Caderno de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. esp. 2, p. 113-148, jul./dez. 2015.

STUMPF, Marianne Rossi. Mudanças estruturais para uma inclusão ética. In: QUADROS, Ronice Müller. (Org.). Estudos surdos III. Petrópolis: Arara Azul, 2008.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais, 1994. [S.l.]: Unesco, 1998. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001393/139394por.pdf. Acesso em: 12 jan. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

(c) Rev. Saberes Univ., Campinas (SP) - ISSN 2447-9411.