Do cuidar com tecnologia à tecnologia do cuidado

Wilma Aparecida Nunes

Resumo


A tecnologia ampliou as possibilidades de vida do homem e a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) é um centro de assistência sofisticado que reflete as potencialidades da técnica. Este estudo teve como objetivo detectar os efeitos do uso da tecnologia no processo de cuidar do paciente crítico.  Para atingir tal meta optou-se por desenvolver um trabalho de caráter qualitativo, utilizando entrevistas. As reflexões emergiram de análises realizadas a partir do discurso dos enfermeiros, interpretados à luz de um referencial teórico fundamentado no pensamento de Michel Foucault. A análise, pautada nas relações de saber/poder, desvela o agir dos enfermeiros que desenvolvem competências aplicadas sob condições minuciosamente controladas pelo “poder disciplinar” instalado na instituição hospitalar, fato que contribui para estabelecer o perfil de profissionais que atuam na vanguarda de uma profissão, cuja essência se caracteriza pelo processo de cuidar. Constatou-se nessa investigação que os enfermeiros estão preocupados com as repercussões do uso indiscriminado dessas “máquinas”, necessárias para monitorar inúmeras variáveis e manter a vida; bem como com os efeitos dessa tecnologia na interação enfermeiro/paciente.


Palavras-chave


Tecnologia. Enfermagem. Cuidar

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BENNER, Patrícia. From novice to expert. Califórnia: Addison Wesley Publishing, 1984.

BOEHS, Astrid Eggert; PATRíCIO, Zuleica Maria. O que é este “cuidar-cuidado”? uma abordagem inicial. Rev.Esc.Enf. USP, São Paulo, v.24, n.1, p. 111–116, 1999.

BOURDIEU, Pierre. A Miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2003.

CARAPINHEIRO. Graça. Saberes e poderes no hospital. Lisboa: Afrontamento, 1993.

CARRIILHO Manuel Maria. Filosofia. Lisboa: Difusão Cultural, 1994.

CASTRO, Cláudio Moura. Memórias de um orientador de tese: um autor relê sua obra depois de um quarto de século. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto. A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação e escrita de teses e dissertações. São Paulo: Cortez, 2012.

CASTRO, Nadya Araújo; GUIMARÃES Iracema Brandão. Divisão Sexual do trabalho, produção e reprodução. In: SIQUEIRA Deis Elucy, POTENGY Giselia Franco CAPPELLIN Paola. Relações de trabalho, relações de poder. Brasília: Ed. UnB, 1997. p.177-212.

DENNIS, Karen E; PRESCOTT, Patricia A. Florence Nightingale: yesterday, today, and tomorrow. Adv Nurs Sci., v.7, n.2, p.66-81, Jan;1985.

EVANS, S Ann. Critical Care Nursing: the ordinary is extraordinary. Heart & Lung. v. 20, n.3, p. 21-31A, 1991.

EWALD, François. Foucault a norma e o direito. Lisboa: Vega, 1993.

FARAGO, Cátia; FOFONCA, Cilene Eduardo. A análise de conteúdo na perspectiva de Bardin: do rigor metodológico à descoberta de um caminho de significações. Disponível em: http://www.letras.ufscar.br/linguasagem/edicao18/artigos/007.pdf. Acesso em: 22 nov. 2016.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da clínica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1977.

GRANGER, Gilles-Gaston. A ciência e as ciências. São Paulo: Editora da Unesp, 1994.

HEIDEGGER, MARTIN. A questão da técnica. Cadernos de Tradução, Florianópolis, n.2, p.41-93, 1197.

HEIDEGGER, Martin. Língua de tradição e língua técnica. Lisboa: Veja, 1995.

HOBSBAWM, Eric John Ernest. Era dos extremos: o breve século XX; 1914 – 1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

KELLY, Fiona E; FONG, Kevin; HIRSCH, Nicholas; NOLAN, Jerry P. Intensive care medicine is 60 years old: the history and future of the intensive care unit. Clinical Medicine, v.14, n.4, p. 376–9, 2014.

KREMER-MARIETTI, Angèle. Introdução ao pensamento de Michel Foucault. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

LADRIÈRE, Jean. Os desafios da racionalidade. Petrópolis: Vozes, 1979.

MACHADO Roberto, LUZ Rogério, LOUREIRO Angela, MURICY Kátia. Danação da norma: Medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1978.

MACHADO, Roberto. Ciência e saber: a trajetória da arqueologia de Michel Foucault. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

MARQUES, Isaac Rosa; SOUZA, Agnaldo Rodrigues. Rev. Bras. Enferm, Brasília, v.63, n.1, p.14-4, jan./fev. 2010.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom; HOLANDA, Fabíola. História oral: Como fazer, como pensar. São Paulo, Contexto, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciências & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.17, n.3, p. 621–626, 2012.

NIGHTINGALE, Florence. Notas sobre enfermagem. São Paulo: Cortez, 1989.

PADILHA Maria Itayra; BORENSTEIN, Miriam Süsskind; SANTOS, Iraci. Enfermagem: história de uma profissão. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2011.

PARRILLO, Joseph E. A silver anniversary for the Society of Critical Care Medicine - vision of the past and future: the preseidential address from the 24th Educational and Scientific Symposium of the Society of Critical Care Medicine. Critical Care Med., v.23, n.4, p.607-12, 1995.

SCHWONKE, Camila Rose G. Barcelos et al. Perspectivas filosóficas do uso da tecnologia no cuidado de enfermagem em terapia intensiva. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 64, n.1, p.189-92, jan./fev. 2011.

SILVA, Graciette Borges. Enfermagem profissional: análise crítica. São Paulo: Cortez, 1989.

SILVA, Rafael Celestino da, FERREIRA, Márcia de Assunção. Clínica do cuidado de enfermagem na terapia intensiva: aliança entre técnica, tecnologia e humanização. Rev Esc Enferm USP, São Paulo, v. 47, n.6, p.1325-32, 2013.

SILVA, Rafael Celestino da; FERREIRA, Márcia de Assunção; APOSTOLIDIS, Thémistoklis. Estilos de cuidar de enfermeiras na Terapia Intensiva mediados pela tecnologia. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v.67, n.2, p.252-60, mar./abr. 2014.

TRIVINÕS, Augusto Nibaldo Silva. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Atlas, 1987.

WEIL, Max Harry; PLANTA, M.V.; RACKOW, Eric C. Critical Care medicine: introduction and historical perspective. In: SHOEMAKER, William C et al. Textbook of critical care. Philadelphia: Saunders Company, 1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

(c) Rev. Saberes Univ., Campinas (SP) - ISSN 2447-9411.